Engenharia no setor público: privatização não é solução

Emerson F. Tormann 12 de set de 2017
KLEBER SANTOS 29 - Eleições CREA-DF

Websérie do projeto “Uma Nova engenharia para um Novo Brasil” aborda reflexos da engenharia e da agronomia no setor público e formas para desenvolver um país melhor

Especial GPBC

Entrevistados da websérie “Uma Nova engenharia para um Novo Brasil” debatem a engenharia no setor público Arquivo/Gazeta do Povo

Nem privatização, nem terceirização. Para combater as instabilidades e mudanças que fazem parte da engenharia no setor público, a saída é investir em tecnologia e pesquisa. Esta é a opinião dos entrevistados da websérie do projeto “Uma Nova engenharia para um Novo Brasil”, que teve como tema a “A engenharia no setor público” nesta quarta-feira às 10h15 no Facebook da Gazeta do Povo.

Em contrapartida da opinião pública, que defende a privatização e terceirização de procedimentos para acabar com o sucateamento de empresas e a falta de reposição de quadro após aposentadorias, o presidente da Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros (Fisenge), Clóvis Nascimento, defende que a resposta está para o outro lado.

“Privatizar a engenharia é um risco para a população. A sociedade precisa ter acesso ao que deveria ser coletivo”, enfatiza.

Para o conselheiro e diretor financeiro do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado do Paraná (Crea-PR), Leandro Grassmann, é essencial entender o conceito e a necessidade de empresas públicas.

“É necessário reverter a visão de que o setor público custa caro, é deficitário, um cabide de emprego. Assim será possível manter empresas fortes, com investimento e desenvolvimento, uma engenharia com autonomia, que inove e proponha soluções”, aponta.

Por meio de projetos em longo prazo que valorizem o conhecimento e capacidade locais, em vez de buscar apenas o lucro, é possível alcançar a engenharia pública ideal.

Clóvis Nascimento e Leandro Grassmann falaram sobre esses e outros assuntos relacionados ao cenário atual e os impactos da engenharia civil no setor público durante a transmissão da web série “Engenharia civil no setor público” nesta quarta-feira às 10h15, neste link . Para conferir a programação completa das próximas webséries, clique aqui.

Assista à entrevista:

Kleber Souza dos Santos

Engenheiro Agrônomo (UFSC, 1992). Mestre em Gestão Econômica do Meio Ambiente (UnB, 2001). Especialista em Gestão do Agronegócio (UnB, 2009). Especialista em Botânica (UFLA, 2006). Especialista em Administração Rural (UFV, 1995). Candidato à Presidência do CREA-DF, eleições 2017.

Um comentário para ''Engenharia no setor público: privatização não é solução"


COMENTAR
  1. Discordo da visão simplista de que toda privatização é prejudicial à sociedade, pois esquecemos casos de sucesso em que as empresas só foram alavancadas sob o comando privado. Notemos que o Estado continuou como um dos maiores, se não o maior, sócio individual, ganhando nos impostos e dividendos, e liberando a Empresa do jugo político, para hoje serem reverenciadas como cases de sucesso em suas áreas de atuação!
    E discordo da visão romântica da sociedade dona da Empresa Pública em que é possível ter uma administração correta e eficiente, neste país em que a corja política se entranha na corrupção como uma metástase cancerígena!
    Defendo que sejam estudados as diversas maneiras de se passar para a iniciativa privada a condução das empresas públicas, liberando o Estado para as funções realmente importantes para a sociedade: garantir educação universal de qualidade, saneamento e saúde, normatizar a macroeconomia, garantir o pleno império das leis na proteção da sociedade e dos mais fracos!

    ResponderExcluir

Este espaço é democrático no qual você pode opinar. No entanto, comentários ofensivos, desrespeitosos ou com vocabulário inadequado não serão aceitos. Se preferir, envie sua mensagem para kleber@valoriza.eng.br. Obrigado.